Connect with us

Em Salvador

Live Tour Salvador emociona ao relembrar trajetória de Santa Dulce

Publicado

em

A história e a trajetória de uma das maiores personalidades brasileiras, cujo anúncio da canonização pelo Vaticano completou dois anos na quinta-feira (1º), presentes em peças artísticas, documentos, objetos pessoais e mensagens que marcaram a vida da religiosa baiana, nascida em Salvador. O passeio pelo universo de Santa Dulce dos Pobres foi o mote do quarto roteiro do Live Tour Salvador que, na sexta-feira de 2 de julho, Dia da Independência do Brasil na Bahia, aportou no Santuário Santa Dulce dos Pobres, na Cidade Baixa.

Na ocasião, o apresentador José Raimundo e Ronaldo Castro, monitor do Memorial Santa Dulce, mostraram ao vivo ao público momentos importantes da então freira, desde os locais que ela costumava frequentar para ajudar os pobres, como o antigo Alagados, a época do noviciado em Sergipe, os familiares e o galinheiro onde cuidava dos moradores em situação de rua e que, anos depois, cresceu e se transformou nas Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), visitada até mesmo por santos como o papa João Paulo II e a madre Teresa de Calcutá.

A devota de Santo Antônio tinha preferência por objetos pessoais na cor azul e tinha o acordeon como uma das demonstrações de alegria e de educação musical de crianças. Um dos momentos marcantes relatados por Castro foi a emoção de um senhor, ao ver uma representação no Memorial do choque entre um ônibus e um bonde ocorrido na Cidade Baixa, em 1959. “Ao questionar a seu Antônio por que ele estava chorando, ele disse que lembrou quando foi salvo por Irmã Dulce nesse acidente.”

No quarto onde viveu até a morte, em 13 de março de 1992, impressiona a presença da roupa na qual Santa Dulce foi enterrada e que, ao ter os restos mortais transportados para o santuário, em 2010, ainda se mantinha intacta. Outro aspecto que chama a atenção é a poltrona onde passou a dormir desde 1956, cumprindo uma promessa pela recuperação da saúde da irmã, Dulcinha. Também foram relembrados os milagres que levaram Irmã Dulce à santificação, em outubro de 2019.

Já no Santuário, foi a vez de José Raimundo conversar com a guia Eli Libório, da Vivofap Tour. É na Capela das Relíquias que está o túmulo com os restos mortais de Santa Dulce e que possui uma representação da religiosa em tamanho original, feito em Nápoles, na Itália. “Quando as pessoas chegam aqui choram muito, principalmente aquelas que foram ajudadas pela santa e que começam a compartilhar suas vivências”, declarou Eli. A guia completou que o local, que recebia 8 mil pessoas por mês, saltou para 20 mil pessoas por mês.

Turismo religioso – Em seguida, foi a vez do âncora Pedro Velozo mostrar ambientes como o café e a loja Santa Dulce e conversar com o guia Val Novaes, da Adval Turismo. O profissional relatou que Salvador tem como um dos marcos do turismo religioso o Santuário de Santa Dulce dos Pobres. “Mas temos também outras igrejas, como a dos Alagados, da Conceição da Praia, do Bonfim e do Rosário dos Pretos. A capital baiana possui 372 igrejas, de acordo com a Arquidiocese de Salvador. E o turismo religioso não é apenas o católico – como descendentes de negros africanos que trouxeram o candomblé, a cidade possui mais de 1 mil terreiros das religiões de matriz africana”, completou Novaes.

O roteiro foi encerrado no fim do Caminho da Fé, que percorre o 1,1 quilômetro da Avenida Dendezeiros: a Colina Sagrada, que abriga a Basílica do Nosso Senhor do Bonfim. Na ocasião, o padre Manoel Filho, coordenador nacional da Pastoral do Turismo, contou que, das 372 igrejas soteropolitanas, 32 foram selecionadas e distribuídas em três roteiros para visitação: o Caridade e Fé, na região da Cidade Baixa; o Arte e Fé, na região do Pelourinho; e o Conventos e Mosteiros, em formatação.

Padre Manoel destacou ainda igrejas que não são tão conhecidas, mas também são especiais, como a de São Raimundo, no Centro. “Ela é pequenininha, mas, além de possibilitar ver de perto o altar, que é maravilhoso, ainda tem os doces e sequilhos fantásticos feitos pelas irmãs oriundas do Convento dos Humildes, em Santo Amaro”, completou.

Próxima edição – A próxima edição do Live Tour Salvador, realizado pela Prefeitura em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav), vai abordar o trecho entre o Bonfim e o Humaitá, também na Cidade Baixa. A transmissão ocorrerá na terça-feira (6), às 16h, nas redes sociais do Visit Salvador da Bahia (Facebook, Instagram e YouTube). O projeto é desenvolvido com o objetivo de impulsionar o turismo na cidade, fortemente impactado pela pandemia de Covid-19.

Confira a Live Tour Salvador Santa Dulce dos Pobres: www. youtube. com/ watch?v=DHY9nORFBMs

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

PUBLICIDADE


ESTAMOS NO Facebook

Copyright © 2017 Política na Rede