Bruno Barral comete prática antissindical e se esquiva de denúncias de possível contaminação nas escolas

Diretores do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Salvador (Sindseps) denunciam prática antissindical protagonizada pelo secretário municipal de Educação do município, Bruno Barral. Segundo os sindicalistas, o titular da SMED se nega a receber representantes do sindicato e tomar conhecimento de situações como cortes indevidos nos salários e auxílio transporte; contaminação pelo coronavírus em ambiente escolar e desvio de função.



Na manhã desta sexta-feira (31), três diretores do sindicato foram barrados na sede da secretaria, na Avenida Garibaldi. De acordo com uma funcionária que não quis ser identificada, Bruno Barral orientou aos seus auxiliares que não atenda sindicalistas e que o mesmo também não o fará.

Preocupado com a eleição de sua correligionária Cristiane Correia à vereadora de Salvador, Barral tem usado suas funções para cooptar servidores e terceirizados da SMED para participarem da campanha da pupila de João Gualberto, político que chefia os mesmos. Utilizando prerrogativas, o secretário tem utilizado seu tempo para trabalhar o objetivo do tucanato da banda G de Gualberto.

Clique aqui e confira a denúncia feita na frente do prédio da SMED.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM