Cerca 2 mil empresários soteropolitanos criam abaixo assinado para suspensão de cobranças de TFF, IPTU e ISS: “a decisão cabe exclusivamente ao prefeito”

Em entrevista, a dentista e microempresária Vastiane Evelise, trouxe detalhes sobre o abaixo assinado para a suspensão da cobrança dos impostos municipais como TFF, IPTU e ISS. Desde o 21 de março, quando foi decretada a quarentena em Salvador, “milhares de estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços ‘não essenciais’ fecharam como consequência destas determinações. Este impedimento já dura mais de 90 dias para muitos negócios como academias, restaurantes, bares, lojas de rua, shoppings centers”.

Com faturamento zero e risco iminente de falência, os empreendedores ainda tem que assumir impostos da uma gestão que recebeu milhões em recursos via Governo Federal para combater a pandemia. “A gestão ACM Neto não tomou nenhuma medida de apoio ou proteção ao setor de comércio e serviços. Não podemos esquecer que essas categorias são as que empregam quase 80% da mão-de-obra em Salvador. Não houve qualquer demonstração de sensibilidade do prefeito com esta situação, sequer um adiamento de impostos – o que é o mais correto a fazer, como aconteceu com os impostos federais”, frisou a microempreendedora.

“Incautos podem alegar: alguém tem que pagar a conta desta Pandemia… com certeza não será o microempresário, o lojista, o Microempreendedor individual, o dono do pequeno restaurante… quem além de estar sem faturamento, ainda tenta equilibrar as contas para salvar empregos e evitar um caos social. É justa essa cobrança de impostos? E o TFF? Esse é o mais absurdo de todos. Acontece que 2020 começou, passou o Carnaval e menos de 30 dias depois, tudo foi fechado por causa da Pandemia. E assim, a maioria dos estabelecimentos permanece até hoje fechados! Essa fiscalização do TFF não ocorreu este ano, não há funcionamento. Mesmo após a retomada das atividades, precisaremos de um tempo para recuperar o caixa e conseguir honrar nossos compromissos”, complementou.

Como a decisão de suspender a cobrança destes impostos cabe exclusivamente ao prefeito de Salvador um grupo de empresários soteropolitanos criou o grupo “Negocie Tudo” com o objetivo de passar este recado ao alcaide da capital baiana. A ideia é que ACM Neto conheça a situação dos empresários soteropolitanos “e o nosso desejo de pagar os impostos sim, mas em condições aceitáveis e condizentes com a dura realidade que vivemos. Este alívio nas contas pode ser determinante para a sobrevida de muitos estabelecimentos”.

A situação de Vastiane exemplifica o momento que o pagador de imposto passa na cidade do Salvador. “Recebi nesta segunda (29) a notificação da gestão municipal que minha empresa será inscrita no CADIN por um imposto não pago em maio, sim, mês passado! Além de todas as dificuldades que vivemos no momento, ainda perderemos nosso crédito junto às instituições financeiras? Como manteremos os empregos? Por isso, pedimos ao Prefeito que promova o adiamento do pagamento dos impostos municipais sem a cobrança de juros e multa. Afinal, que imposto a Prefeitura vai conseguir arrecadar de uma empresa ‘morta’?”, finalizou.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM