“Venda do Odorico Tavares mostra que gestão Rui Costa não acredita na escola pública”, critica Paulo Azi

O deputado federal Paulo Azi, presidente estadual, classificou como medida segregadora e discriminatória a venda do terreno onde funcionava o Colégio Estadual Odorico Tavares, no Corredor da Vitória, anunciada nesta quinta-feira (9) pelo governo do estado, que enviou à Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) um projeto de lei para alienar a área. Para Azi, a decisão do governador Rui Costa (PT) simboliza a falta de prioridade para a educação e evidencia que a gestão petista não acredita na escola pública. “Ao fechar uma escola pública numa das áreas mais valorizadas da cidade, o governador toma uma medida segregadora, tirando alunos pobres da vizinhança rica. Essa decisão só mostra que os governos petistas nunca priorizaram a educação pública e abandonaram as crianças e adolescentes da Bahia. A consequência disso é que temos, lamentavelmente, o pior ensino médio do país e elevados índices de violência”, pontua. O parlamentar afirma que a justificativa de baixa demanda para fechar a unidade é frágil. “A baixa demanda é resultado do sucateamento do Odorico promovido pelo governo nos últimos anos. Mais lamentável ainda é que o governo não vai construir um colégio com a mesma estrutura como era o Odorico, que já foi considerada uma escola-modelo”, ressalta. Azi diz que a medida não surpreende, diante dos casos de fechamento escolas registrado nos últimos anos. “O governador que adora falar de sua origem humilde é o mesmo que, agora, coloca os interesses da especulação imobiliária na frente da educação e da juventude”.
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM