Salvador: Câmara Municipal aprova projeto de lei que reaproveita óleo de cozinha

Que tal transformar resíduo poluente em receita para os cofres públicos? A Câmara Municipal de Salvador aprovou, na tarde de quarta-feira (22), o projeto de lei que garante o reaproveitamento do óleo de cozinha utilizado na produção da merenda escolar das escolas da rede municipal de Salvador. Para o vereador Toinho Carolino (Podemos), autor da proposição, a lei tem o objetivo de colaborar com o meio ambiente e com a gestão pública.

“A coleta seletiva e o reaproveitamento do óleo também contribuirão para a educação ambiental nas escolas. Meu desejo é que professores, funcionários e alunos se conscientizem da necessidade de preservar o meio ambiente”, afirmou Carolino, presidente da Comissão de Educação, Esporte e Lazer da Câmara.

A medida propõe a armazenagem do óleo residual de cozinha das escolas públicas, a partir da coleta diária. O material passa a ser conservado em recipientes e recolhido pelas associações e empresas cadastradas pela prefeitura.
“O projeto foi pensado como solução para os danos provocados pelo descarte inadequado do óleo na rede de esgoto, evitando a poluição de rios e mares. Estou feliz com a aprovação, pois se trata de uma alternativa sustentável que vai garantir nova fonte de receita ao município”, destacou Carolino. Ele acrescentou que o lucro obtido pela prefeitura deverá ser revertido para projetos de educação ambiental nas escolas.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM