A casinha de Clara Beatriz e o fantástico mundo dos livros

Eu já tinha ouvido falar a respeito. Mas, confesso que dei pouca importância, assim como muitas das coisas que chegam até nós atualmente… Dia desses, andando com Belchior, como sempre faço, avistei a tal casinha. Está cuidadosamente instalada aos pés de uma algaroba numa das extremidades da Praça Chico Mendes – local público mais bonito e agradável da cidade de Irecê. Vi a casinha cheia de livros e, desconfiado tal qual bicho do mato, cheguei perto para tentar entender. Belchior também ficou entusiasmado. Percebi pelo balançar de rabo e respiração ofegante, enquanto nos aproximávamos, lado a lado. Antes mesmo de começar a descobrir os mistérios, a palavra CONTRIBUA gravada na portinhola transparente chamou minha atenção. Com coração palpitante, abri a casinha de madeira e encontrei livros de diversas cores e tamanhos: material didático, poesia, literatura infantil, conteúdo técnico, autoajuda… Pensei na hora: estou diante de uma fonte inesgotável de conhecimento.

Enquanto navegava pelo incrível universo das letras, descobri (maravilhado) o Projeto Casinha de Livros Clara Beatriz. Inspirada numa experiência vivida em Salvador, ela decidiu construir um ponto de contribuição coletiva para que as pessoas possam deixar ou pegar um livro. Aos seus olhos, a ideia parecia a coisa mais simples do mundo… Foi alertada pela mãe, Maria José, e pelo pai, Paulo Dourado, sobre os riscos, especialmente em relação ao vandalismo. Mas, permaneceu irredutível. De tanto insistir, coube aos pais ajudar na campanha e na confecção da casinha. A mãe, encantada, viu a filha doar a própria biblioteca para o projeto. O pai, coitado, teve que cavar um buraco fundo e reforçá-lo para sustentar a estrutura de madeira e o peso do sonho de uma menina de 10 anos.

Assim, no último dia 20 de outubro, nasceu a Casinha de Livros Clara Beatriz. Desde então, como numa ciranda iluminada de encanto, dezenas de volumes (novos e usados) foram doados e levados por diferentes pessoas. Você, que lê agora, se quiser embarcar na viagem, pode contribuir: separe alguns exemplares para doação, vá até a Praça Chico Mendes e garimpe para ver o que encontra! Mas, se ligue: tem que ser livro em bom estado de conservação! Quem mora em Irecê ainda conta com a possibilidade de ajudar sem sair de casa: basta ligar ou mandar mensagem para 74 9.9999-2979 e agendar a entrega da sua doação! “A gente começa doando livros e quem sabe espalha mais amor e amizade”, disse a jovem realizadora, no mesmo instante em que brincava com pipoca – o novo melhor-amigo que vai ser motivo de litígio na família.

Fã de Thalita Rebouças, Núbia Paiva, Ana Maria Machado, Ruth Rocha, Lulu Lima e Malala, Clara Beatriz se prepara para inaugurar uma segunda Casinha de Livros. O local escolhido foi a Praça das Rádios, no Centro de Irecê. No próximo dia 22, a partir das 8h, será realizado o Pedal Literário – evento para arrecadar doações e promover a vida saudável! “Vamos fazer um passeio junto com a turma do Pedal Beneficente. Vai ser ótimo se todo mundo puder participar! Leve sua bicicleta e um livro! Venha se divertir com a sua família e ajude a construir um mundo melhor”. A convocação de Clarinha também se estende para quem não vai se aventurar em duas rodas: de qualquer forma, com ou sem bike, vale a pena levar sua doação e prestigiar o lançamento!

Apesar de perceber que se trata de uma criança especial, desconfio que minha nova amiga não tenha a real dimensão do potencial cultural e da importância simbólica da sua casinha. Clara Beatriz, menina sonhadora, queria construir um ponto, quando, na verdade, ergueu uma ponte para além do tempo. Desafiado por minha esposa, deixei dois livros: Vito Grandam – uma história de vôos, de Ziraldo; e A mão e a Luva, clássico de Machado de Assis. Levei pra casa, feliz da vida, uma edição encadernada da FTD chamada Noções de Coisas – compêndio de saberes do mestre Darcy Ribeiro, por sinal com ilustrações de Ziraldo. Foi amor à primeira vista! Este livro, que já pertenceu a Ana Paula Maciel, se tornou o primeiro da biblioteca do meu filho ou filha, que se desenvolve (ainda sem noção de coisa nenhuma) na barriga da mãe. Imagino que a Casinha de Livros Clara Beatriz vai abrigar outras tantas histórias como essa. Eu, de minha parte, estou comprometido em ajudar a manter vivo esse sonho!

E ainda dizem por aí que o livro, assim como conhecemos, está com os dias contados! Duvido.

Quer saber mais? Acesse Projeto Casinha de Livros-Clara Beatriz no Facebook ou o canal Clara Beatriz Livros no YouTube e @projetocasinhadelivros no Instagran.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

FOLLOW @ INSTAGRAM