Salvador: Ouvidoria apresenta relatório de visitas dos CAPS à Secretaria de Saúde

O ouvidor-geral da Câmara Municipal de Salvador, vereador Luiz Carlos Suíca (PT), e a equipe técnica do órgão do Poder Legislativo entregaram ao secretário municipal de Saúde, José Antônio Rodrigues Alves, na sexta-feira (26), um relatório final sobre as visitas técnicas realizadas pela Ouvidoria aos Centros de Atenção Psicossocial de Salvador (CAPS) no ano de 2017.

O documento aponta ações que precisam ser elaboradas pelo Executivo a fim de melhorar a qualidade do atendimento em saúde oferecido aos pacientes e familiares.
Entre os meses de abril e outubro do ano passado, a Ouvidoria da Câmara visitou os 18 CAPS de Salvador. Foram realizadas entrevistas com gerentes e coordenadores a partir de um roteiro contendo 12 aspectos: estrutura física e acessibilidade, higiene, segurança, recursos humanos e capacitação adequada, projeto terapêutico individualizado, refeições, oferta de medicação, atividades em funcionamento, atividades externas, trabalho com as famílias/comunidade, transporte próprio e nível de satisfação dos usuários.

“É de fundamental importância a construção de um canal de efetiva participação social na administração municipal. A intenção dessas visitas é a de assegurar as condições materiais e de recursos humanos mínimas exigidas para o funcionamento do serviço, a fim de oferecer suporte técnico e administrativo para as funções desempenhadas pelos CAPS, conforme previsto na legislação federal e municipal vigentes”, afirmou Luiz Carlos Suíca.

Dados coletados – A estrutura física foi apontada como um dos pontos mais deficientes. A partir dos dados coletados foi verificado que 78% dos entrevistados reprovam a situação. Durante a reunião, o secretário de Saúde admitiu a falta de manutenção geral das unidades, mas alegou que a estrutura “é depreciada mais rapidamente devido ao uso inadequado feito pelos usuários”.

Para sanar o problema da falta de adaptação e insatisfação dos profissionais concursados, José Antônio Rodrigues Alves sugeriu, também, que devam ser estudadas outras formas de contratação, “com exigência de experiências prévias na área e comprovação de habilidades pessoais para o tipo de trabalho desenvolvido”.

A falta de profissionais de todas as áreas nos CAPS, que estão funcionando com equipe mínima e em muitas unidades há falta de médicos psiquiatras e farmacêuticos, também foi bastante mencionada pelos usuários. Outro problema lembrado pelos entrevistados foi a falta de automóvel próprio em todas as unidades. No passado, cada CAP tinha um carro para auxiliar no atendimento.

Acessibilidade (56%) e higiene (53%) foram outros itens reprovados nas pesquisas realizadas pela Ouvidoria da Câmara.

Como encaminhamentos da reunião, foram acordadas visitas do órgão ao Espaço Multiuso Subúrbio 360 e ao Hospital Municipal de Cajazeiras com a presença do titular da Saúde em Salvador.

Além do vereador Suíca e do secretário José Antônio Rodrigues Alves, também participaram da reunião: Luciana Torres Peixoto, diretora de Atenção à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde; Thamires Almeida, coordenadora-técnica da Ouvidoria da Câmara; e Rafaela Oliveira, assessora parlamentar.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM