Falta de vagas nos cemitérios é evidenciada no dia de finados, aponta Palhinha

No dia de finados, com o aumento da visitação nos cemitérios, fica mais que destacada a situação precária em que se encontram esses equipamentos em nossa cidade. O aumento do número de mortes violentas na região metropolitana de Salvador é alarmante e esse problema de segurança púbica, que é do Estado, já vem refletindo na gestão municipal, que se encontra com restrição de vagas nos seus cemitérios públicos.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia, dados do ano de 2016, somente nos 3 primeiros meses do ano passado, morreram cerca 400 pessoas vítimas de mortes violentas, na capital. No ano de 2015, morreram cerca de 1.500 pessoas vítimas de mortes violentas. Agora em 2017, entre os meses de janeiro e maio, já foram registradas 589 mortes violentas.

Esses números somados ao de mortes por causa natural, aumentam significativamente a busca por vagas nos cemitérios, principalmente os públicos, no caso das mortes violentas. Essas estatísticas da violência urbana são advindas, principalmente, dos bairros mais populosos, onde vive a maior parte da população carente. Os familiares dos mortos vão em busca de vagas nos cemitérios públicos e precisam esperar dias para conseguir sepultar seu ente querido.

Pensando no sofrimento dessas famílias, o vereador Palhinha (DEM) vem apresentando, há muitos anos, uma série de projetos de indicação, com sugestões importantes para a ampliação da oferta de vagas nos cemitérios municipais. Somente esse ano de 2017, o edil já apresentou 7 projetos na câmara, que dizem respeito a melhorias, ampliação de vagas e outras sugestões de soluções para os problemas dos cemitérios municipais.

Para o cemitério de Periperi, Palhinha já negociou um terreno vizinho, para que seja passada a posse para a Prefeitura, o que permitirá a construção de novas gavetas. Em Pirajá, a situação é bem semelhante e também já existe um terreno ao fundo do cemitério do bairro, de propriedade privada, com capacidade para pelo menos 10 mil novas gavetas. Sugeriu, ainda, ao Governo do Estado, a construção de um cemitério vertical, proposta que o vereador já apresentou desde 2009 e que reapresentou, no final de 2016.

Segundo o edil, sugestões e possíveis soluções para esse problema existem, o que falta é a união de forças entre o estado e o município, para reformar os atuais e construir novos cemitérios em nossa cidade, o quanto antes.

Número de Cemitérios Municipais

Salvador dispõe de 10 cemitérios municipais, sendo 6 deles em bairros da capital (Itapoan, Brotas, Periperi, Pirajá, Plataforma e Paripe) e 4 nas Ilhas (Paramana, Ilha de Maré, Bom Jesus e Ponta de Nossa Senhora).

Segundo o secretário municipal de Ordem Pública, Marcus Vinícius Passos, já foi assinada uma ordem de serviço para começo imediato das obras de construção de 440 novas gavetas nos cemitérios de Plataforma (216), ltapuã (96) e Brotas (128).

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM