Prefeito entrega tablets a vencedores de Mostra Criativa Salvador de Arte

O Dia Mundial da África, celebrado nesta quinta-feira (25), foi marcado por uma grande festa no Teatro Gregório de Mattos. A Prefeitura premiou os trabalhos vencedores da Mostra Criativa Salvador de Arte, Educação e Cultura Negra com a entrega de 39 tablets, em evento que contou com as presenças do prefeito ACM Neto, das titulares das Secretarias de Reparação (Semur) e Educação (Smed), Ivete Sacramento e Paloma Modesto, respectivamente, do presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Fernando Guerreiro, do presidente do Conselho de Comunidade Negra, Eurico Alcântara, e demais autoridades municipais.

A solenidade teve início com a apresentação de alunos da Escola Municipal Maria Dolores, sob a orientação do professor Lázaro Machado, que, por meio da dança-afro, abordou assuntos como a mortalidade de crianças e jovens negros no Brasil. Logo em seguida, foi apresentado um balanço das atividades realizadas no período de 2013 a 2016, pelo Grupo de trabalho da Lei 10.639/03, nas escolas da rede, que foram voltadas a disseminação de conhecimento e fortalecimento da cultura afro-brasileira. Também foi anunciado o tema das atividades para a Mostra Criativa Salvador, de Arte, Educação e Cultura Negra 2017, que será ‘Cantos, Encantos e Recantos Negros de Salvador’.

O prefeito ACM Neto, que entregou como prêmio tablets aos alunos vencedores do concurso, reforçou que no momento atual do país, onde a televisão exibe tantas noticias ruins sobre política, economia e vida empresarial, esse evento simboliza um futuro diferente para a nação. “Mais do que nunca, é muito bom estar num ambiente que associa valores e princípios tão importantes como a educação. Não há outro caminho para construir um futuro diferente para o Brasil que não seja pela educação. Se tivermos um investimento concreto neste segmento e a mesma oportunidade para todas as crianças, vamos construir um Brasil menos desigual”, ressaltou o gestor.

A mostra reuniu trabalhos oriundos de atividades e projetos desenvolvidos em sala de aula, contemplando o que recomendam as leis 10.639/03 e 11.645/08, que determinam a obrigatoriedade do ensino das histórias e culturas africanas, afro-brasileira e indígena no currículo oficial. Foram quase 100 trabalhos inscritos, englobando as dez Gerências Regionais, onde cerca de 300 alunos e alunas participaram com produções literárias, curtas-metragens e/ou composições musicais. Foram premiados nove trabalhos, considerando as três primeiras equipes cada categoria – Audiovisual, Literatura e Música -, mediante entrega dos tablets como forma de incentivo pelo empenho dos estudantes.

Na categoria música, a equipe vencedora foi da Escola Municipal Dois de Julho. Já na categoria literatura, a premiada foi a Escola Municipal de Pirajá, com a produção ‘Além da Cor’, da aluna Laís Barreto. No quesito audiovisual, uma equipe da Escola Municipal Alto de Coutos garantiu a primeira colocação. A iniciativa integra as atividades do Grupo de Trabalho da Lei 10.639/03, que, a partir deste ano, passar a ser um Comitê Técnico de Supervisão e Acompanhamento das Ações de Implementação da Lei 10.639/03, composto pelas secretarias municipais da Reparação, da Educação e de Cultura e Turismo, por intermédio da Fundação Gregório de Mattos (FGM) e com apoio dos Conselhos Municipais das Comunidades Negras e de Educação.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM