Vereadores aprovam REDA na Prefeitura de Salvador em sessão cheia de debates

Em sessão polêmica, com os votos contrários da bancada da oposição (9 vereadores) e a presença de servidores municipais nas galerias, a Câmara Municipal aprovou, na noite desta quarta-feira (15), o Projeto de Lei Complementar nº 02/16, do Executivo, que institui o REDA na Prefeitura de Salvador. A matéria recebeu 29 votos favoráveis.

Por iniciativa do líder da oposição, vereador José Trindade (PSL), o projeto foi submetido a duas discussões, conforme a Lei Orgânica do Município, o que estendeu o processo de votação até às 18h50. Segundo ele, a adoção do Reda é prejudicial aos trabalhadores e não resolve os problemas enfrentados pelos terceirizados.

Além disso, frisou Trindade, não explicita o número de contratados nem a forma de seleção: “Uns dizem que são 3000 servidores, que a economia será de R$65 milhões, mas o projeto não diz. A solução é a prefeitura convocar concurso público, teve quatro anos para isso”.

Em nome da bancada do governo, o líder Henrique Carballal (PV) frisou que em debate no turno da manhã, com a presença de vereadores e servidores, o diretor de Gestão de Pessoas da Secretaria de Gestão (Semge), Eduardo Merlin, explicou que o número de vagas e a forma de contratação serão definidos por edital.

O projeto foi aprovado com três emendas, sendo uma do vereador Edvaldo Brito (PSD), acrescentando a garantia de gratificações a profissionais de saúde; e duas de Carballal, uma retirando a estabilidade econômica e outra apenas de mudança de nomenclatura.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM