Sindicato questiona decisão do PT no caso da expulsão de Suíca e Moisés Rocha

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Intermunicipal (Sindilimp-BA), através de sua coordenadora geral, Ana Angélica Rabello protesta contra a decisão da Executiva Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) que expulsou os vereadores Luiz Carlos Suíca e Moisés Rocha. “O mandato da gente, dos trabalhadores terceirizados, em limpeza, dos petroleiros, dos trabalhadores em geral, não foi respeitado pelo PT. Suíca recebeu 9.797 votos e Moisés Rocha, 6.077 votos. O PT municipal quer calar quase 16 mil pessoas. Vamos recorrer e não aceitamos este ataque à democracia, um golpe contra a vontade popular”, afirma a sindicalista.

Ana Angélica lembra que “quando as pesquisas eram desfavoráveis ao atual governador Rui Costa, Suíca organizou caminhadas no Pernambués e demais comunidades com o então candidato do PT. Ficar ao lado de quem ganha eleição é fácil. Suíca mostrou sua lealdade, sempre usando camisa vermelha, assim como um grande número de membros da categoria que são filiados ao PT. Nesta ocasião e na campanha de Alice Portugal à prefeitura não vimos muitos dos que agora na Executiva Municipal atacam Suíca”.

Ela lembra que Suíca nunca teve seu nome envolvido em nenhuma denúncia de corrupção, compra de votos, campanha eleitoral desonesta ou algo assim. “O PT pune de forma rápida, autoritária e ditatorial dois negros de origem humilde e que se mostram eficientes como parlamentares. Nada aconteceu com as chamadas personalidades petistas citadas em casos escabrosos como não construção de casas populares, citações em operações de combate à corrupção, votação no golpista deputado Rodrigo Maia (PMDB) para presidente da Câmara dos Deputados. Não há traição em se votar em uma chapa de unidade que contou com o apoio de dois vereadores do PT, as bancadas do PCdoB e do PSB. O que vemos é uma perseguição que podemos classificar de racista e que a Executiva Estadual tem a obrigação de reverter”.

Os vereadores Luiz Carlos Suíca e Moisés Rocha entraram com recursos na Executiva Estadual do partido contra a decisão de expulsão do diretório municipal. “Querem continuar no PT, partido que contribuíram com a fundação e consolidação. O PT precisa se organizar pela base e não por um grupo de burocratas que nada representam a não ser na máquina partidária. Se expulsarem Suíca, desde já afirmo que ele não sairá só e apenas o PT tem a perder. Vamos lutar pelo mandato que construímos e seguiremos a posição política que Suíca tomar. Queremos participar dos destinos da cidade. Se o PT não nos quer teremos que buscar novos caminhos. Que o Diretório Estadual atue com sensibilidade e apague este ato covarde do municipal de Salvador”, finaliza Ana Angélica Rabelo.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM