CTB convoca ato contra o neoliberalismo nesta sexta (

A CTB Bahia convoca os sindicatos classistas e o movimento social para um ato pela democracia e contra o neoliberalismo, que acontece nesta sexta-feira (4), às 9h, em frente à Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Canela. A manifestação é parte de uma jornada convocada pelo Encontro Sindical Nossa América (ESNA) em todo o continente americano.

Ha mais de uma década, nesta mesma data, em Mar del Plata, Argentina, durante a III° Cúpula dos Povos, o ESNA disse não à vontade do presidente dos EUA, George W. Bush, em reinstalar a ALCA na agenda de debate das cúpulas presidenciais das Américas, que excluíam Cuba.

Desde então, a luta dos povos de Nossa América gerou as condições de mudança política, com ensaios em matéria de integração sem subordinação. Muitas iniciativas de integração não puderam ser postas em prática, mas deixaram o carimbo da criatividade popular e do respeito aos objetivos que nos propusemos para tornar realidade um outro mundo possível.

A Jornada desta sexta-feira é parte do desafio dos movimentos sociais de enfrentar a nova situação política, com a ofensiva das classes dominantes e do imperialismo, que tentam reinstalar novamente a agenda dos tratados de livre comércio, o TPP, o TISA, e a Aliança do Pacífico, o TLC com a Europa, e variadas formas de subordinação dos nossos países ao programa liberalizador das transnacionais e do imperialismo.

Essas iniciativas liberalizadoras afetam as/os trabalhadoras/es, os povos indígenas, originários e camponeses, as mulheres e os jovens do nosso continente e exacerbam as formas de exploração e dominação capitalista em tempos de crise mundial do regime do capital.

A realidade demanda uma massiva mobilização continental e o ESNA estimula todas as articulações possíveis com os movimentos populares, redes sociais, personalidades dispostas a repudiar a iniciativa liberalizadora e continuar com a luta e organização das/os trabalhadoras/es para aprofundar as mudanças políticas, denunciar o racismo, a discriminação, o patriarcado, o colonialismo e criar as condições de luta pelo socialismo.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM