Mais de 10 mil pescadores reclamam atraso no pagamento do seguro defeso do camarão

Mais de 10 mil pescadores e pescadoras de diversos municípios baianos, segundo levantamento feito pela Federação das Associações, Sindicatos e Colônias de Pescadores e Aquicultores do Estado da Bahia (FAPESCA-BA), sofrem com a suspenção do pagamento do Seguro Defeso do camarão.

O benefício de R$ 1.760,00, referentes aos meses de abril e maio, quando a pesca do camarão está proibida, até hoje não foi paga aos trabalhadores da pesca. A renda contribui para o sustento das famílias no período da proibição da pesca e para movimentar a economia dos municípios.

O presidente da FAPESCA, Antônio Jorge Teixeira dos Santos, destaca que informações desatualizadas do banco de dados da Secretaria da Pesca tem sido o principal empecilho para que a Previdência Social reconheça o débito. “As informações na Secretaria da Pesca não condiz com a realidade, pois estão desatualizadas. Esse problema, que é de competência do governo federal, está prejudicando o trabalhador da pesca e aquicultura”, pontua Antônio Jorge, que, por meio da FAPESCA, busca a solução do problema junto a Previdência Social e a Superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento na Bahia (MAPA/BA).

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM