Bahia: inauguração da emergência do Hospital Geral Ernesto Simões Filho é adiada

O governo da Bahia mais uma vez demonstrou descaso com a situação da saúde pública no Estado. Diferentemente do anunciado, a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) não cumpriu com a inauguração das instalações da emergência do Hospital Geral Ernesto Simões Filho, prevista para a última terça-feira (29). A obra se arrasta há quase três anos e a população desde então está sendo atendida, de forma precária, em containeres.

Na última fiscalização, realizada no dia 3 de fevereiro, o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) encontrou uma situação inapropriada para um atendimento de saúde. Aldira carvalho, que estava acompanhando uma amiga no local, disse que a estrutura não é suficiente. ”O banheiro é aqui é pra homem e mulher e está sempre sujo, com urina no chão. Estou aqui desde manhã sem ir ao banheiro, pois tenho medo de pegar uma doença”, desabafa ela.

Segundo a Dr. Flávia Fidelis, o maior problema, além da quantidade de pacientes para atender numa situação ruim de acomodação física, é a violência. “A gente já viveu verdadeiras cenas de terror. Já teve tiro aqui dentro do complexo. E nesse momento o que temos de palpável para melhorar a situação seria a emergência ficar pronta. Porém, já foram dadas várias previsões e até agora nada”, relata ela. A técnica de enfermagem Terezinha Oliveira, que trabalha há 29 anos no Ernesto Simões, ratifica a situação de risco na unidade. “Um paciente chegou sem vida e a família invadiu o contêiner, fez ameaças e partiu pra agressão física. Aqui nos sentimos muito desprotegidos”, relata.

Diante do cenário de caos, o Cremeb, no dia 25 de fevereiro, decidiu em sessão plenária o indicativo de Interdição Ética do Trabalho da unidade de saúde, de acordo com os termos das Resoluções CFM 2062/2013 e a 2120/2015. A interdição é caracterizada pela proibição do profissional em exercer seu trabalho por falta de condições mínimas para segurança do ato médico. Após o comunicado, que foi feito em XXX, a direção do hospital tem 30 dias para adotar as medidas de regularização dos problemas identificados. O conselheiro Ótavio Marambaia ressalta o descaso da Secretaria com a obra que está atrasada há quase três anos. “O Estado mais uma vez prometeu e não cumpriu. Os profissionais de saúde estão trabalhando em condições péssimas e a população está sendo atendida precariamente. Estamos sendo lesados mais uma vez”, concluiu ele.

O Secretário de Saúde, Fábio Villas-Boas, a par da decisão do Cremeb, respondeu em ofício, no dia 2 de março, que a Sesab estava ciente das dificuldades estruturais da emergência do Ernesto Simões. No ofício, a Sesab promete a inauguração da unidade de saúde. “Dessa forma, informamos que o setor de urgência e emergência, totalmente reformado, será entregue no dia 29 próximo, dando resolutividade aos apontamentos do relatório encaminhado”. Assim como ocorrido com o prazo de entrega para dezembro de 2015, a inauguração não aconteceu mais uma vez.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM