Projeto da ponte Salvador-Itaparica entra em fase de conclusão

Estão marcadas para este mês de outubro as audiências públicas que vão ouvir a sociedade sobre o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (Rima) para implantação do Sistema de Travessia Salvador/Ilha de Itaparica. Na próxima segunda-feira (19), será realizada a audiência em Itaparica, na terá-feira (20), em Vera Cruz, e na quarta-feira (22), em Salvador. A etapa antecede a liberação da Licença Prévia Ambiental do projeto, que entra em fase final de conclusão. O projeto inclui a construção de uma ponte rodoviária sobre a Baía de Todos-os-Santos, a duplicação da BA-001 (trecho Itaparica–Ponte do Funil) e demais estruturas associadas.

Para as audiências públicas em Vera Cruz e Itaparica será disponibilizado transporte para translado do público, antes e depois das reuniões. A condução sairá dos locais às 7h30, com retorno ao final das audiências, previsto para 13h. A lista completa com os locais de saída do transporte pode ser conferida nos sites da Secretaria de Planejamento (Seplan) e da ponte, que estão disponibilizando ainda os estudos do EIA/Rima para que a sociedade possa se manifestar sobre o conteúdo do documento e apresentar suas contribuições. Os estudos também podem ser encontrados no site do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema)

O projeto é coordenado pela Seplan e a convocação para as audiências públicas é feita pelo Inema, atendendo à resolução nº 2929/02 do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Cepram) e à lei estadual nº 10.431/06. O Estudo de Impacto Ambiental foi realizado pelo consórcio formado pela empresa baiana, V&S, e portuguesa, Nemus – vencedoras do processo licitatório, cujos trabalhos começaram em outubro de 2013.

O licenciamento ambiental acontece em três fases. A primeira delas, na qual se encontra o projeto do Sistema Viário Salvador-Itaparica, é a análise de viabilidade socioambiental do projeto e elaboração do Estudo de Impacto Ambiental e respectivo Relatório de Impacto Ambiental, para subsidiar a emissão da Licença Prévia pelo Inema.

Em um segundo estágio, é solicitada a Licença de Implantação, que permitirá a construção do empreendimento. Na terceira etapa, após a construção do empreendimento, é solicitada a Licença de Operação, que permitirá a utilização do sistema viário pela comunidade.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM