Colégio Central da Bahia celebra 178 anos

Quase 200 anos de história, cinco mudanças de nome e um verdadeiro legado para os baianos. O Colégio Estadual da Bahia – o Central -, localizado na Avenida Joana Angélica, em Salvador, conserva uma arquitetura tradicional que remete ao passado. As escadarias da edificação secular são apenas alguns dos traços que demarcam no tempo a importância deste que foi o primeiro colégio público do ensino médio da Bahia.

Criado pelo ato nº 33, publicado no Diário Oficial do Estado em setembro de 1837, o Central foi também vanguarda de gênero. Anteriormente frequentado apenas por homens, em 1900 recebeu suas quatro primeiras estudantes e, a partir daí, passou a ser cada vez mais comum meninos e meninas estudarem em uma mesma instituição de ensino.

“O Central foi criado com o nome Liceu Provincial da Bahia e funcionava na Mouraria. Ao longo do tempo e, com os marcos históricos, foi mudando de nomes. Ele foi responsável pela formação de muitos baianos que se destacaram na política, nas ciências, nas letras, nas artes. É uma história muito longa, que começa quando ainda éramos província. Este ano, completa 178 de criação”, destaca a professora de História, Déborah Kelman, responsável pelo Projeto Memorial da instituição.

Ao longo dos anos, passaram pelo Colégio Central professores ilustres como o padre Doutor Antônio Joaquim das Mercês, Luiz Vianna Filho, Edgar Santos, Severino Vieira e Carlos Corrêa de Menezes Sant’Anna, além de estudantes famosos como Glauber Rocha, Calasans Neto, Elsimar Coutinho e Carlos Mariguellas.

As memórias são preservadas no acervo histórico do colégio, dividido em arquivos, pinacoteca e uma biblioteca, onde mais de 1.600 livros que abordam a educação baiana ficam à disposição dos alunos. Na edificação também está instalado um museu – também pertencente ao projeto memorial – em que peças como máquinas de datilografia, microscópios e estátuas são expostas.

Desde o ano passado, o Colégio Central desenvolve um projeto pedagógico diferenciado. Além das aulas tradicionais, os alunos podem ampliar o aprendizado por meio de 21 cursos e oficinas oferecidos no Centro Juvenil de Ciência e Cultura. Os ensinamentos passados pelos professores contemplam diversas áreas, como Papéis Interativos, Cultura Geek, Game Design, Piloto Virtual, Giro da Física e Robótica.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM