Bahia se prepara para Marcha das Mulheres Negras 2015

O comitê baiano da Marcha das Mulheres Negras, que será realizada em Brasília no dia 18 de novembro, foi recebido pela secretária estadual de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Vera Lúcia Barbosa, no Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, em Salvador, onde a gestora despachará uma vez por mês, com o objetivo de potencializar ainda mais o equipamento social.

No encontro, realizado nesta quinta-feira(09), os integrantes da Rede de Mulheres Negras da Bahia – responsável pela articulação estadual do ato político – informaram sobre os últimos preparativos, que inclui a organização de caravanas e seminários de formação. A expectativa é reunir mais de 50 mil brasileiras contra o racismo, a violência e pelo bem viver, que contempla áreas como saúde, moradia e afetividade. “Somos a categoria mais discriminada na sociedade, que menos tem direitos, e está na hora da mudança”, disse Sueli Souza.

Entre as bandeiras de luta apontadas pelo grupo estão o acesso à saúde de qualidade às mulheres negras e garantia dos direitos das trabalhadoras domésticas, além de ações voltadas às quilombolas e de enfrentamento ao sexismo e outras práticas discriminatórias. Também participaram da reunião Tânia Palma, Naiara Leite e Lindinalva de Paula, que, além de integrar a Rede, faz parte do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN).

Ainda segundo Sônia, esta é a primeira vez que as mulheres negras do País se organizam em marcha à Brasília, neste nível, para apresentar suas demandas. Ela anunciou ainda que no próximo dias 19 e em 17 de outubro serão promovidos seminários preparatórios para a Marcha no Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente (Sindae), no bairro dos Barris, em Salvador, das 9 às 17h.

Para Vera Lúcia Barbosa, o momento será oportuno para escuta e desenvolvimento de políticas públicas direcionadas ao segmento, “que tanto contribuiu para construção da nossa sociedade”. Ela também destacou que foram iniciadas, nesta semana, as discussões para regulamentação do capítulo do Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa que trata das mulheres negras.

Esta é a primeira vez que a titular da Sepromi despacha no Centro de Referência Nelson Mandela – na Ave 7 de Setembro, nº 282, Edifício Brasilgás (1º andar), no Centro da cidade -, procedimento que terá continuidade nos próximos meses, valorizando a unidade que atende vítimas de racismo e intolerância religiosa na Bahia.  O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9 às 12h e das 14 às 17h. O Centro atua em conjunto com a Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa, composta por instituições do poder público, universidades, órgãos que formam o Sistema de Acesso à Justiça e organizações da sociedade civil.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM