PF investiga advogado que ameaçou “arrancar a cabeça” de Dilma

espantadoO advogado e ex-candidato a deputado federal pelo PSDB, Matheus Satlher Garcia, poderá ser investigado pela Polícia Federal, Ministério Público Federal (MPF) e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) por ameaçar matar a presidente Dilma Rousseff caso ela não renuncie ao cargo até o próximo dia 6 de setembro.

“Dilma Rousseff, renuncie, fuja do Brasil ou se suicide até o dia 6 de setembro às 23h59. Caso contrário, dia 7 de setembro a gente não vai pacificamente para as ruas. Vamos juntamente com as Forças Armadas populares do Brasil defender o povo brasileiro e te tirar do poder”, afirma o tucano. Ele diz ainda que caso Dilma não deixe o cargo “sangue vai rolar”. Afirma que a cabeça de Dilma será arrancada e sugere ainda um “memorial” na Praça dos Três Poderes. “Assuma seu papel e tenha a humildade para sair do nosso país. Caso contrário, o sangue vai rolar. E não de inocentes. Vamos fazer um memorial na Praça dos Três Poderes, um poste de cabeça para baixo, porque com a foice e o martelo nós vamos arrancar sua cabeça e pregar e fazer um memorial para você”, diz o advogado.

Ao Ministério da Justiça (MJ), Pimenta requer a “instauração de procedimento investigatório”. De acordo com o Código Penal cabe, exclusivamente, ao órgão proceder quando crimes contra a honra forem dirigidos à presidente da República. O deputado encaminhou a denúncia ao gabinete de Segurança Institucional do MJ, responsável pela segurança do dia 7 de setembro. Além das ameaças, o advogado prega mecanismos violentos de rompimento da ordem constitucional, com “flagrante escárnio” pelos princípios do Estado Democrático de Direito. De acordo com o artigo 3º do Código Penal, o advogado “deve ter consciência de que o Direito é um meio de mitigar as desigualdades para o encontro de soluções justas e que a lei é um instrumento para garantir a igualdade de todos”.

Em nota divulgada à imprensa, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, vai solicitar ao Conselho de Ética do PSDB a abertura de processo disciplinar contra Matheus Sathler Garcia com o objetivo de expulsá-lo do partido. Na avaliação do senador, as recentes manifestações violentas de Sathler contra a presidente Dilma Rousseff não condizem com o que prega o programa do PSDB nem estão em sintonia com o que se espera de um filiado ao partido.

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM