Serra defende propaganda eleitoral restrita ao candidato

serraO senador José Serra (PSDB-SP) propôs cinco alterações na propaganda eleitoral no rádio e na TV, que ficaria restrita ao candidato e à câmera, sem a participação de terceiros. O Projeto de Lei do Senado (PLS) 462/2015 reduz drasticamente o gasto nas campanhas políticas e padroniza o formato dessa propaganda. Também coíbe o uso da coligação partidária como instrumento de negócio eleitoral, através da mudança no cálculo da distribuição do tempo de TV; reduz o período de propaganda de 45 para 30 dias; diminui o tempo diário do horário eleitoral gratuito e reduz para 14 minutos o tempo da propaganda eleitoral no segundo turno.

“Proponho simplificar a propaganda eleitoral, que deixará de sofrer manipulações e trucagens, e eliminar toda a pirotecnia produzida a altíssimo custo pelos marqueteiros”, resumiu José Serra. O projeto proíbe gravações externas, montagens, computação gráfica, desenhos animados ou efeitos especiais.  Serra frisou que seu objetivo é assegurar uma disputa mais equilibrada, em que os candidatos falem com a cara e a coragem, sem artificialismos.

A proposta determina ainda que o cálculo do tempo das destinado para as eleições majoritárias a uma coligação contemplará exclusivamente o tempo dos partidos que têm candidatos. Assim, na hipótese de cinco partidos se coligarem nas eleições de prefeito, o tempo da coligação será a soma dos tempos do partido do cabeça da chapa e do candidato a vice.

“Se essa medida for aprovada, acabará com o verdadeiro mercado persa de tempo de TV que se instaura a cada eleição no Brasil”, ressaltou o senador.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM