Visita frustrada de senadores à Venezuela gera mal-estar diplomático

Reprodução TwitterA visita frustrada de uma comissão de senadores brasileiros a políticos que estão presos na Venezuela gerou um mal-estar diplomático entre Brasília e Caracas nesta quinta-feira (19). A presidente Dilma Rousseff convocou, na tarde desta quinta-feira, o chanceler brasileiro, Mauro Vieira, para esclarecer o incidente que impediu que os senadores brasileiros realizassem a visita a dirigentes opositores em Caracas, de acordo com o presidente da Câmara Eduardo Cunha.

O micro-ônibus que transportava os senadores Aécio Neves (PSDB) e Aloizio Nunes (PSDB), Cássio Cunha Lima (PSDB), Ronaldo Caiado (DEM), Agripino Maia (DEM) e Sérgio Petecão (PSD) teve a passagem bloqueada por manifestantes vestidos de vermelho minutos após deixarem o aeroporto que dá acesso à capital. De acordo com relato da comissão de senadores, o grupo teria lançado objetos contra o veículo e bloqueado a passagem momentaneamente. “Estamos em Caracas, sitiados em uma via pública. Nossa van foi atacada por manifestantes”, disse Neves. Apesar da afirmação do senador, o grupo não chegou a Caracas e permaneceu no litoral de La Guaira.

[DDET O deputado federal João Daniel (PT-SE) tem outra versão para o ocorrido. Confira o que ele diz aqui:] O deputado diz que chegou ao aeroporto em um voo comercial às 11h52 desta quinta-feira e enfrentou as mesmas dificuldades da comissão do Senado, mas conseguiu chegar a Caracas após enfrentar mais de 4 horas de trânsito.

“Acabei de chegar ao hotel. O trânsito estava muito ruim, tivemos que retornar duas vezes ao aeroporto para tentar pegar vias alternativas. Na última deu certo, mas estava muito congestionado porque todos os veículos estavam desviando para o mesmo lugar”, afirmou Daniel à BBC Brasil.

O deputado, que compõem a delegação de esquerda que veio a Caracas fazer “ruído” à presença dos senadores de oposição, diz não acreditar que o engarrafamento tenha sido provocado pelas autoridades. “O governo venezuelano vai ter a intenção de criar um fato político contra ele mesmo? Não acredito nisso”, disse.

O senador do PT Lindberg Farias disse após ser retomada a sessão no Senado que era preciso o exercício da diplomacia parlamentar. “Há discursos que acabam acirrando os ânimos. É preciso que o Brasil e os parlamentares do Brasil se disponham a conversar com os dois lados para garantir o processo democrático”, afirmou Farias. Os senadores debatem a criação de uma comissão “ampla” para visitar o país na próxima semana. A chancelaria venezuelana não quis comentar o incidente.[/DDET]

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM