Assembleia Legislativa: relação entre mídia e violência é debatida em audiência pública

audiencia_midiaCom o objetivo de debater a relação entre mídia e violência foi realizada ontem uma audiência pública conjunta entre as comissões de Direitos Humanos e Segurança Pública e a de Promoção da Igualdade. O encontro foi conduzido pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marcelino Galo (PT), e contou com a presença de representantes da Universidade Federal da Bahia, Defensoria Pública, OAB e outras entidades de classe.

Marcelino Galo disse que a proposta da comissão é debater a questão dos diretos humanos de forma integral, lembrando que já ocorreram audiências públicas com temas como violência policial e situação do sistema prisional. “O modo como a mídia trata a violência, de forma “espetacularizada”, muitas vezes expondo cidadãos que ainda não foram a julgamento, é um tema fundamental que não poderia deixar de ser tratado pelo colegiado”, afirmou.

A defensora pública Walmary Pimentel explicou que a permissão para entrevista só poder ser concedida pela própria pessoa, que tem o direito constitucional de permanecer em silêncio. “Quando uma pessoa se nega a responder uma pergunta e o repórter insiste, muitas vezes encorajado pelo policial que está fazendo a guarda do suspeito, o que está acontecendo é uma coação, uma violação extrema da dignidade humana. As famílias dessas pessoas que se sentirem atingidas podem procurar a defensoria para tomarmos as medidas legais”, afirmou a defensora.

Já a professora do departamento de Ciências Políticas da Ufba, Maíra Kubik, afirmou que as mulheres são excluídas ou ocultadas pelos meios de comunicação. “Quando são fontes para alguma notícia as mulheres aparecem em um papel estereotipado de esposa ou mãe e falando sobre problemas cotidianos, como o aumento do pãozinho”, afirmou a professora, salientando que a violência contra a mulher não é mostrada como um problema endêmico da sociedade brasileira.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM