Governo federal defende celas especiais para presos com diploma

celaO governo federal, por meio de um parecer assinado pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, defendeu junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) a existência da prisão especial para aqueles que têm diploma de curso superior.

Na visão do Ministério Público Federal, tal artigo fere o princípio da dignidade do ser humano e o princípio da isonomia, previstos na Constituição Federal. O artigo 295 é responsável pela existência de cela especial para presos que tenham curso superior.

Na visão do MP, só deveria haver cela diferenciada para separar pessoas por sexo e idade, ou nos casos em que houver ameaça à integridade do detento.

Já no parecer encaminhado na última semana ao Supremo, o advogado-geral argumenta que não há descumprimento dos preceitos fundamentais da Constituição, já que o artigo garante cela especial apenas em casos de prisão temporária ou preventiva. “Em outros termos, a previsão de prisão especial para os diplomados em curso superior não constitui, em si, uma afronta ao Texto Constitucional, uma vez que encontra respaldo nos princípios da isonomia e da presunção de inocência”, escreveu Adams no documento.

O caso chegou ao STF no início de março e ainda está em fase inicial, não havendo previsão para que ele seja julgado pelos ministros. A relatoria da ação é do ministro Teori Zavascki.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM