Servidoras públicas são assaltadas e agredidas por marginais no bairro da Federação

IMG-20150407-WA0099A violência que assola a capital baiana causou momentos de pânico e dor para duas servidoras municipais, na tarde de terça-feira (07), no bairro da Federação.

As duas funcionárias públicas – que temem serem identificadas – foram vítimas de bandidos armados, na frente do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO). A unidade de saúde fica localizada na Travessa Barão do Triunfo. O local é conhecido pela ação dos marginais que atacam as vítimas e fogem em direção à Avenida Cardeal da Silva.

A abordagem criminosa teve requintes cruéis, onde os ladrões agrediram as mulheres e subtraíram seus pertences. As marcas das agressões ficaram pelas mãos e braços das vítimas que prestaram queixa na delegacia do bairro.

Após uma reunião com diretores do Sindicato dos Servidores da Prefeitura do Salvador (Sindseps), com a presença das vítimas, trabalhadores e usuários do CEO Federação decidiram suspender as atividades na unidade de saúde até que o Poder Público garanta a segurança no local.

Segundo o diretor do Sindseps, Everaldo Braga, os servidores municipais são vítimas frequentes da marginalidade em toda a cidade. “Diariamente recebemos notificações de assaltos e agressões sofridas pelos trabalhadores. Fazemos nosso papel de oferecer suporte jurídico e psicológico, mas a Prefeitura tem que garantir as condições deIMG-20150407-WA0097 segurança necessárias para o pleno funcionamento dos órgãos públicos. Lamentamos o ocorrido na Federação e lembramos que duas trabalhadoras da saúde foram vitimadas em uma data tão simbólica que é o Dia Mundial da Saúde”, enfatizou Braga.

“Essa ação marginal contra estas honradas trabalhadoras ilustra o cenário aterrador que devemos combater nas nossas próximas mobilizações, como a Campanha Salarial que se avizinha. Não vamos lutar apenas por valorização salarial. Exigiremos condições dignas de trabalho para que possamos ter a tranquilidade para cumprir nossa missão de cuidar das pessoas e salvar vidas, sem que sejamos alvo fácil da bandidagem”, completou o coordenador do Sindseps.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM