Prefeitura de Salvador larga 21 famílias de Paripe desamparadas, denuncia vereador Hilton Coelho

DivulgaçãoEm 23 de agosto do ano passado, em Paripe, 21 famílias foram removidas em ação da Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município de Salvador (Sucom) contanto com o apoio da Polícia Militar que, segundo relato, agiram com violência exacerbada na chamada Ocupação Linha Férrea. Na manhã desta segunda-feira (23) representantes das famílias estiveram no gabinete do vereador Hilton Coelho (PSOL) para relatar as dificuldades que estão enfrentando.

 “Colocaram as famílias no chamado aluguel social e avisaram que as famílias seriam contempladas pelo Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). A Prefeitura de Salvador nada mais pagou e as famílias enfrentam toda sorte de problemas. Uma vergonha que exige uma solução imediata solução”, afirma Hilton Coelho.

 O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) da Fazenda Coutos foi quem efetivou o cadastro das famílias. “Até o momento nada foi feito e todos poderão engrossar o já triste e grande número de pessoas em situação de rua. Cerca de 50 crianças estão entre as famílias. Serão jogadas nas ruas?”, questiona o socialista.

 Ele lembra que as famílias ocuparam a área entre a pista e a linha férrea não porque queriam ficar em lugar inseguro e sim em razão da falta de local para morar. Hilton Coelho relata que “antes de despejar as famílias, a prefeitura deveria providenciar local seguro para aqueles que não tinham e não têm local para residir. Para piorar, o despejo no dia 23 de agosto foi arbitrário e ilegal. A Sucom, com o apoio da Polícia Militar, sem prévio aviso demoliu as casas. Não apresentaram nenhuma justificativa oficial, não houve notificação para evacuação e, com arbitrariedades, seus pertences ficaram jogados na rua”.

 “Recebemos hoje as famílias e estamos atuando para que esse grave problema social seja resolvido com medidas e ações administrativas, políticas e não com autoritarismo. Na ocasião, telhas, madeirites, grades e outros materiais foram levados pela Sucom sem que os legítimos donos pudessem recuperá-los. Os imóveis que estavam trancados foram arrombados sem a permissão dos respectivos moradores. Exigimos uma solução imediata e que os direitos das 21 famílias sejam respeitados”, finaliza Hilton Coelho.

Share

Um comentário

  1. fabio Reply

    Vergonha porque? quer dizer que se eu não tiver uma casa posso invadir qualquer lugar só para não ter que pagar aluguel? eu pago e não invadi propriedade de ninguem nem do município, quem quiser casa trabalhe para comprar uma como todo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM