Carnaval de Salvador registra aumento de cirurgias na face

socoCom decréscimo de 27% nos atendimentos, as agressões físicas (655) foram a segunda maior causa de ocorrências nos módulos de saúde montados para o Carnaval, ficando atrás apenas da intoxicação alcoólica (714). Apesar disso, houve aumento de 66% na realização de cirurgias de face nos circuitos da folia.

Dos 418 atendimentos de bucomaxilofacial, o posto Ademar de Barros liderou com 100 ocorrências, seguido da Montanha (81), Piedade (61) e Sabino Silva (58).

Estes casos necessitam de intervenção rápida, já que os traumas tratados em até 30 minutos após a ocorrência, têm redução de 90% de riscos de deformações faciais irreversíveis. Por isso, o trabalho dos profissionais que realizam intervenções na mandíbula, nariz e maçã do rosto (bucomaxilofacial) é de suma importância na folia momesca, já que a maior parte dos atendimentos ocorre por agressões físicas.

A fim de garantir agilidade nos atendimentos, a Secretaria de Saúde ampliou o número de equipes intervencionistas. Este ano, três das seis equipes de cirurgiões plantonistas estavam fixas nos módulos assistenciais da Ladeira da Montanha, Piedade e Sabino Silva e outras três, móveis, se deslocavam através de motolâncias para os locais das ocorrências.

Durante todo o Carnaval do ano passado, as agressões físicas resultaram em 251 intervenções cirúrgicas nos módulos assistenciais.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM