CTB participa de protesto de trabalhadores em Salvador

CTB_dia_lutaOs trabalhadores baianos mostraram a disposição para lutar contra qualquer retirada de direitos em uma grande manifestação, realizada na manhã desta quarta-feira (28), em Salvador. Portando faixas e bandeiras, lideranças da CTB, CUT, UGT, Força, Nova Central, CSB e Conlutas tomaram uma das principais avenidas do Centro da cidade, em protesto pela edição das Medidas Provisórias 664 e 665, que ameaçam conquistas, como o seguro desemprego, o auxílio doença e a pensão por morte.

A concentração começou cedo no Sindicato dos Bancários, de onde a marcha saiu em direção à Superintendência Regional do Trabalho – SRTE. Lá, além de realizarem um ato político, os representantes das centrais foram recebidos pela superintendente do Trabalho na Bahia, Isa Simões. Eles entregaram um documento, as ser encaminhado ao Ministério do Trabalho, no qual pedem a imediata revogação das MPs, apontando outras formas de ajuste fiscal, sem penalizar os trabalhadores.

Muito antes da entrega do documento, lideranças sindicais de diversas categorias se revezaram ao microfone do carro de som para alertar a sociedade sobre o alcance das mudanças propostas pelo governo. Bancários, comerciários, trabalhadores da construção civil, da hotelaria e da indústria têxtil, servidores da saúde e da educação, vigilantes, rodoviários e aposentados mostraram seus motivos para recusar as medidas provisórias. “2015 será um ano de muita luta e mobilização. Isso requer uma unidade ainda maior do movimento sindical. As MPs 664 e 665 são uma afronta aos brasileiros, pois pretende retirar recursos dos trabalhadores e da produção para fazer superávit primário. Isto é um absurdo”, argumentou o presidente da CTB Bahia, Aurino Pedreira.

A manifestação é parte do Dia Nacional de Lutas e Mobilizações por empregos e direitos, organizado pelas principais centrais sindicais do Brasil. Na Bahia, o ato foi marcado pela pluralidade de representações e de demandas, que incluiu também a luta contra abertura de capital da Caixa Econômica, a elevação das taxas de juros e dos impostos; em defesa da Petrobras, da correção da tabela do imposto de renda e a inclusão da produção local na indústria nova, além de pautas locais.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM