Pedido do PSDB é imprudência à toda prova, diz procurador-geral da República

eleições 2014O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, emitiu parecer nesta segunda-feira contrário ao pedido de auditoria especial solicitado pelo PSDB ao Tribunal Superior Eleitoral sobre o resultado do segundo turno das eleições presidenciais.

Janot, que é também procurador-geral Eleitoral, considerou o pedido uma extravagância, sem previsão legal e o classificou como “temerário” e “de imprudência à toda prova”. Ao pedir a auditoria das eleições, de acordo com o PGR, os tucanos criam risco de uma situação de instabilidade.

Janot considera que o pedido, baseado em comentários feitos nas redes sociais, “não tem lastro em um único indício de fraude”. “O requerimento é, pois, temerário, pois visa a promover gravíssimo procedimento de auditoria sem qualquer elemento concreto que o justifique, baseando-se exclusivamente em especulações sem seriedade efetuadas em redes sociais”, escreveu o procurador.

O que não se pode, entendeu Janot, é justificar a postura de um partido político de “em se baseando unicamente em comentários formulados em redes sociais, em boatos muitas vezes camuflados pelo anonimato”, pretender a instauração de um procedimento que além de não estar previsto na legislação “pode comprometer a credibilidade” do sistema eleitoral.

“Tal medida é de uma imprudência à toda prova, dada a real possibilidade de criar uma situação de instabilidade social e institucional”, critica o procurador.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

FOLLOW @ INSTAGRAM