Senado aprova projeto sobre criação de empresas juniores

senadOs senadores aprovaram na última quarta-feira (29), um projeto que regulamenta a criação e a organização de empresas juniores, associações formadas por estudantes de graduação e ligadas a instituições de ensino superior.

A proposta, de autoria do senador Agripino Maia (DEM-RN), passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa em caráter terminativo, o que significa que irá diretamente para apreciação da Câmara dos Deputados, caso não haja recurso de senadores para levá-lo ao plenário.

O projeto estabelece que as empresas juniores não têm atividade lucrativa, embora possam cobrar pela elaboração de produtos e serviços, independentemente de autorização do conselho profissional regulamentador da respectiva área de atuação. O texto permite que pessoas físicas ou jurídicas também podem colaborar com os trabalhos das empresas juniores, desde que haja autorização dada em assembleia-geral.

Tais empresas não podem ser usadas para captar recursos financeiros para seus integrantes ou mesmo para as instituições de ensino às quais estejam vinculadas, tendo como dever “reinvestir a renda obtida com os projetos e serviços prestados na sua atividade educacional”. O texto também proíbe as empresas juniores de difundirem qualquer tipo de pensamento político-partidário e de ideologia.

Entre as emendas acatadas, o relator entendeu que essas empresas têm de estar inscritas como “associação civil no Registro Civil de Pessoas Jurídicas e no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ)”. Ele também deixou claro que toda empresa júnior tem de estar vinculada a uma instituição de ensino e um curso de graduação indicado no estatuto.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM