Direito de greve ainda causa polêmicas no Senado

direitogreveA proposta que regulamenta o direito de greve no serviço público estabelece que 60% dos servidores nos 28 serviços considerados essenciais continuem trabalhando durante as paralisações.

As centrais sindicais querem a diminuição desse percentual e a garantia da negociação coletiva e da data-base.

O projeto foi tema de debate no Senado. A comissão de consolidação das leis e regulamentação constitucional promoveu nesta quinta-feira (20), audiência pública para discutir o direito de greve no serviço público com representantes de sindicatos.

O relator Romero Jucá (PMDB-RR) ainda busca uma solução de consenso para a proposta que será votada na comissão e posteriormente nas duas casas do Congresso.

Um dos pontos mais polêmicos a serem definidos é a relação das categorias consideradas essenciais que deverão manter efetivos mínimos – que podem chegar a 80% – em atividade durante as greves.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM