Movimentos se mobilizam pela democratização da comunicação

internetRepresentantes do movimento sindical, de mulheres, da juventude e negro deram sua contribuição, na noite da última quinta-feira (06), na sede do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, em São Paulo, para a ampliação da campanha “Para Expressar a Liberdade”, que objetiva coletar assinaturas para a votação da Lei da Mídia Democrática.

O projeto de iniciativa popular precisa de um milhão e trezentas mil assinaturas para ser analisado na Câmara dos Deputados. De acordo com a coordenadora do Fórum pela Democratização da Comunicação (FNDC), Rosane Bertotti, apesar de um grande número de entidades aderirem à iniciativa o número de assinaturas ainda não é suficiente para a aprovação do projeto.

Neste sentido, o presidente do Barão de Itararé, Altamiro Borges, contou sobre a experiência da Argentina que conseguiu aprovar a Ley de Medios no país, após a presidenta Cristina Kirchner quebrar o monopólio do Grupo Clarín, que detinha o direito sobre os jogos de futebol e fazia a transmissão somente na televisão paga. “A Ley de Medios argentina é uma das mais avançadas no mundo. Cristina Kirchner decidiu democratizar a comunicação para que o futebol fosse dos argentinos”, contou Miro, ele sugeriu que, a exemplo do país vizinho, também usemos o futebol como instrumento para sensibilizar a população sobre a necessidade de democratizar a mídia e pediu que a juventude se aproprie mais desta luta.

Durante o debate, o publicitário e criador da página “Política no Face”, Mauro Panzera, apresentou uma ideia de slogan para ser usado na campanha “Vamos chutar a Globo para escanteio” e destacou a importância do uso das redes sociais como ferramenta para combater o monopólio midiático. (Portal CTB)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM