Promotor acredita em propina para prejudicar a Portuguesa

corrupiçãoO promotor Roberto Senise Lisboa, responsável pelo inquérito aberto pelo Ministério Público (MP) para avaliar irregularidades no rebaixamento da Portuguesa à série B do Campeonato Brasileiro, afirmou, em entrevista para Rádio Bandeirantes, que há fortes indícios de alguém ter recebido dinheiro dentro do clube para que o meia Héverton fosse escalado nos minutos finais da última rodada da competição de 2013, contra o Grêmio, mesmo estando suspenso por dois jogos.

Senise Lisboa disse que o MP ainda não tem as provas de que alguém da Portuguesa foi pago para ajudar a omitir o resultado do julgamento que puniu o atleta, mas enfatizou que considera “esquisito o clube falar que não sabia da suspensão do jogador apenas na última rodada do Campeonato Brasileiro”.

O promotor lembrou que o MP concluiu que a Portuguesa tinha conhecimento, desde o dia 3 de dezembro, que Héverton seria julgado em 6 de dezembro, dois dias antes do jogo contra o Grêmio, no Canindé, assim como algum representante do clube soube, com antecedência ao confronto, da punição de dois jogos aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

“Há indícios de que alguém no clube acabou obtendo uma vantagem e prejudicando a Portuguesa. É certo que o técnico Guto Ferreira não sabia da situação do jogador. Ao que tudo indica houve algum problema no meio do caminho, na comunicação no clube”, disse Senise Lisboa.

“A questão é: quem ganhou dinheiro com isso? A máfia no futebol não está restrita apenas ao apito”, finalizou. (Com informações de Veja)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

FOLLOW @ INSTAGRAM